Translate

Tuesday, May 12, 2009

A ÚLTIMA VOZ DO BRASIL!














São quinze pras sete, tá quase na hora
de ouvir pelo rádio a última voz do Brasil

Calem a boca, cantores do rádio!
Tá quase na hora da última voz do Brasil

Vocês não vão saber de nada mais!

Fechem a porta, apaguem as luzes,
acendam as velas para a última voz do Brasil

Em Brasília, dezenove horas!

Aviso aos navegantes: mar de pequenas praias,
calmaria, bóias de luz!

O preço da soja, o dilúvio no Acre
já foram notícias na última voz do Brasil

Os navegadores perderam o rumo,
sem ter as notícias da última voz do Brasil

Vocês não vão saber de nada mais!

Sete e quarenta, tão todos na sala
ouvindo as notícias da última voz do Brasil

Panela no fogo, ampulheta (barriga) vazia,
e aquela folia da última voz do Brasil

Nunca mais vamos ouvir o Guarani

Já passa das oito, barriga vazia
e aquela folia da última voz do Brasil

De agora em diante, é tudo silêncio
e nós nunca mais ouviremos a voz do Brasil

Nosso consolo é ver a TV
Brazil has no more radio service today

Vamos tentar mais uma vez
a última voz do Brasil

A insensatez que você fez
querer ser burguês no Brasil

Atriz atroz, atrás há três
folias de reis no Brasil

E os carnavais nos hospitais
se ouvem na voz do Brasil


(Prêmio de melhor letra no Festival dos Festivais, 1985)

5 comments:

Frei said...

Grande joelhada! Atualésima.


Por onde anda o Billy Bond?

[ ]s do Freitas

Mariano P. Sousa said...

É Paulão!
E por falar em voz do Brasil!
Era uma tortura termos que engolir todos os dias no mesmo hrários toda aquela chatisse.
Hje temos aklguns chatos de plantão nos meios de comunicação, mas também temos alternativas...
Abração camarada!

Salete Cardozo Cochinsky said...

Caro Paulo
Brilhante!
Talvez seja a hora do Brail ouvir a voz!?
Continue meu caro.
Salete
http://saletecochinsky.blogspot. com em ALETHEIA

Ralph Guichard said...

Olá Paulo!

Bom te encontrar novamente por aqui!

O Brasil está mesmo precisando de vozes brilhantes!

Abraços!

Paulo-Roberto Ândel said...

Rapeize,

Agradecimentos de sempre pelas palabras.

Toda consideração e respeito.

Viva o fim da bichavelha!