Translate

Monday, May 04, 2009

CAVALA














cavala
cavala
por onde nada?

há isca pontiaguda
no encalço
agudo
da tua trilha

há rivais
que te invejam
terras triviais
que te desprezam
cores
que te amedrontam

cavala
cavala
por onde nada?

não te confundo
com a cor opaca
nem com opala
mesmo que você
fuja para outra raia

cavala
cavala
regata de metonímia
lírica

paulo-roberto andel, 04/05/2009

6 comments:

Bernardo Miranda said...

lindo!!...
peixe!!!
águas tranquilas
nesse teu sempre
bem arquitetado
cardume de palavras,
forte abraço.

Nelson Borges said...

Que beleza meu amigo.
You are the best.
bjs

Daniele Barizon said...
This comment has been removed by the author.
Daniele Barizon said...

"há rivais
que te invejam
terras triviais
que te desprezam
cores
que te amedrontam"

Guy: interessantissimo, como sempre!

Abs,

Lau said...

Cavalas e cavalos...sempre te perseguindo...rsrs Linda cavala e lindo poema.

Beijos aquáticos

sueli schiavelli jabur said...

essa cavala está bela demais,bjs