Translate

Thursday, June 04, 2009

SKY BLUE SKY












o inverno,
fora de hora,
que tira o afago
dos corações solitários

é o mesmo

que galanteia
o rigor da roupa
o calor do chocolate
o cobalto no céu
de lua cheia

o inverno
é distraído
enquanto há morte
nos arredores –
o mote da morte
numa chacina miserável

no abandono dos sofridos

na cor do atlântico
a esconder o sangue

da desgraça
sem abono

o inverno
imerso em cinza

algoz da calçada

parente distante do Rio

ilógico, acredito
na promessa
de bom sonho
à madrugada
por um detalhe
arredio na espera:

ele, inverno,
sem mágoa,
é nesga
da primavera


Paulo-Roberto Andel, 04/06/2009

7 comments:

Cristianne said...

Estou tentando voltar totalmente de viagem mas tá muito difícil...

cheguei dia 24, domingo, mas só fisicamente...

todos os outros corpos ainda estão tentando se reencontrar aqui, na minha casa, no meu cotidiano, na minha vida carioca e profissional, principalmente...

este blog todo em inglês é mais uma coisa pra eu me adaptar...

afinal, qual é mesmo o blog da galera que migrou do GO???
Em breve irei te visitar de novo pra vc me passar pessoalmente as indicações pra eu me reestabelecer como blogueira novamente...

beijos...

Cristianne Magalhães...

Carlos, um jeito tabajara de ver a vida said...

Paulo, voce sabe que eu gosto de poesia de poucas pessoas. A sua é uma delas. Porem, o que eu gostei mesmo foi do "atoalhizar "

Abraço!!!

Djabal said...

Inverno é muitas vezes desprezado, mas tem sua beleza, na diversidade, na lembrança ao homem do frio. Nós esquecemos do frio, diante do sorriso falso ou interesseiro, ou apenas orientado pela educação. O frio natural é melhor que o calor artificial. Ainda assim, escrevo para concordar com o pleito da poesia, com a espera da nesga da primavera. Um grande brax. (é assim?)

Lau said...

"Nossa existência é transitória como as nuvens do outono". Tenho esssa frase nas minhas agendas.Copiei de alguém e não lembro agora de quem.
Vc me emociona, über amigo.
Congratulations!!!
Beijossss e vamos lançar logo esse livro.

Elika Takimoto said...

Lindo, Paulo! Acertou na mosca mais uma vez.

Coincidiu com o fato d'eu estar fazendo uma lista de 10 coisas que Deus está proibido de fazer (ele não nos proibiu de fazer 10 coisas??? Então...). Uma delas estava:

3- O Senhor pode fazer com que alguns aviões caiam. Mas está terminante proibido de fazê-lo quando o destino for Paris.

Como já disse:

you are the best!

Brax e bay jos

Mariano P. Sousa said...

Paulão!
O que eu acho melhor no inverno, é de um bom chuveiro, fumaçando depois sair correndo e invadir um cobertor e ficar só com as orelhas de fora!
Mas nem sempre é possívelrsrs....!
A gente tem que cair na noite.
Abração Cumpade!

Nelson Borges said...

Impossível Deus não ter visto nada, eles estavam tão pertinho...

Deixo apenas o fragmento de texto que eu gostaria muito de ter sido o autor.

bçs

"Simplesmente na minha cabeça não entra qualquer espécie de ser invisível – que mora no céu – que observa tudo que eu faço a cada minuto de cada dia. Que esse ser invisível tenha uma lista especial com dez coisas que ele não quer que eu faça! E, se eu fizer uma dessas coisas, o ser invisível tem um lugar especial, cheio de fogo e fumaça, de tortura e angústia, para onde vai me mandar para que eu sofra e me queime e me sufoque e grite e chore para todo o sempre. Mas que esse ser invisível me ama!" (Elika Takimoto)