Translate

Tuesday, June 02, 2009

GRANDES POETAS



CACASO

então
senti que o resumo
é de cada um
que todo rumo
deságua em lugar comum
então eu monto num cavalo
que me leva a Teerã
e não me perco jamais
quando desespero vejo muito mais
essa canção me rói, feito um mistério
essa tristeza dói
meu fingimento é sério
como aéreo é sempre todo amor


TORQUATO NETO

eu sou como eu sou
pronome
pessoal intransferível
do homem que iniciei
na medida do impossível

eu sou como eu sou
agora
sem grandes segredos dantes
sem novos secretos dentes
nesta hora

eu sou como eu sou
presente
desferrolhado indecente
feito um pedaço de mim

eu sou como eu sou
vidente
e vivo tranqüilamente
todas as horas do fim.


MANOEL DE BARROS

a poesia,
a poesia está guardada nas palavras
é tudo que eu sei
meu fado é não entender quase tudo
sobre o nada eu tenho profundidades
eu não cultivo conexões com o real
para mim poderoso não é aquele
que descobre o ouro
poderoso pra mim é aquele
que descobre as insignificâncias do mundo e as nossas
por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil
fiquei emocionado e chorei
sou fraco para elogios.


ARNALDO ANTUNES

alta noite já se ia,
ninguém na estrada andava.
no caminho que ninguém caminha,
alta noite já se ia,
ninguém com os pés na água.
nenhuma pessoa sozinha
ia, nenhuma pessoa vinha.
nem a manhãzinha,
nem a madrugada,
alta noite já se ia,
ninguém na estrada andava.
no caminho que ninguém caminha,
alta noite já se ia,
ninguém com os pés na água.
nenhuma pessoa sozinha
ia, nenhuma pessoa vinha.
nem a estrela guia,
nem a estrela d'alva,
alta noite já se ia, ninguém na estrada andava.
no caminho que ninguém caminha,
alta noite já se ia,
ninguém com os pés na água.


CARLITO AZEVEDO

rói qualquer possibilidade de sono
essa minimalíssima música
de cupins esboroando tacos sob a cama

imagino a rede de canais
que a perquirição predatória
possa ter riscado
pelo madeirame apodrecido

se aguço o ouvido
capto súbito
o mundo dos vermes

10 comments:

Daniele Barizon said...

Querido, essa sim, podemos dizer, é seleção de respeito! Arrasou!!

Bjs!!!

Nelson Borges said...

Grande nomes,
belíssimas poesias.

bçs

Antonio Paulo said...

Mestre Paulo tricolor essa já é uma seleção de poetas feita por você com amor.

Elika Takimoto said...

Puro deleite.

Bacio per te

Mariano P. Sousa said...

Nossa!
Que escrete de ouro!
Jóias de grande valor.
Abraço Paulo!

Dalton França said...

Paulo, você conseguiu - com muita propriedade - reunir as feras e suas belas... poesias. Parabéns!
Um abração, menino!

Luiz Ramos said...

Boa coletânea. Gosto muito de Manuel de Barros.
Abraços
Luiz Ramos

Lau said...

Über amigo,que controle de qualidade!!! Arrasou!
E vamos ao Museu da Língua Portuguesa... "by air"...rsrs
Beijos e cuide-se. Conseguiiiiiiii.

Raquel said...

Ótima seleçao!
Besitossss

Pedro Du Bois said...

além da reunião, dois nomes incomparáveis: Cacaso e Torquato. Que lembranças lhes trouxeram os poetas? Abraços, Pedro.