Translate

Friday, June 05, 2009

CAPITAL

















meu coração é a rua

do centro comercial

duma grande capital

no ocaso de domingo -

é o vadio, o vazio

quase aprazível

mas tinindo, tinindo

meu amor não se reflete

mas também não desacata

é só o frio lá de fora

disfarçado na turquesa

horizonte? beleza?

a procissão que não demora

um receio se descontrola –

nem cama, nem mesa

meu coração é da rua

da praça

da viela e o boulevard;

faz a prece para ninguém,

reclama quando lhe convém,

abusa de escutar -

cabe calado numa sentença;

espera lúcido, sereno,

pela glória d’alforria;

disfarça, sentado,

que não chora:

nasceu para além-mar,

não o concreto

dos arranha-céus

arregalados

sem viver

o descansar.


paulo-roberto andel, 05/06/2009

para leonard cohen


10 comments:

Pedro Du Bois said...

nem sempre a cidade
capital
nos devolve
interiores.
por vezes o poeta é maior
que construções latentes.
parabéns, Andel, pela capitalização das palavras.
abraços,
Pedro

Bernardo Miranda said...

muito bacana!
grande mestre!!!

forte abraço.

Antonio Paulo said...

Grande mestre tricolor
essas poesias estão
dando colorido especial
a esse famoso espaço
por isso esse gaúcho
deixa-lhe forte abraço.

Ana Guimarães said...

Com um(a) capital dessa a gente "está feito"!
Parabéns, Paulo.
beijo

Nelson Borges said...

Linda a poesia,
e bela analogia!
Dessas que dá vontade na gente de escrever e fingir ser poeta também.

bçs

Salete Cardozo Cochinsky said...

BRAVO guerreiro
Que poetizar que combina com a realidade atual das grandes metrópoles, dos corações que desejam a liberdade, que traduzem saudades em poesia.
Beijos
Finalmente consegui chagar a essa tua casa. Bom sentir-me aqui.
Grata

Paulo-Roberto Ândel said...

Obrigado a todos, rapaziada. Salve!

Daniele Barizon said...

"meu coração é a rua

do centro comercial

duma grande capital"

Apesar dos pesares, amamos o nosso Rio, não???

Bjs,

Lau said...

Seu coração é do tamanho do "mundo". Eu vi, ninguém me contou, o tratamento que vc dispensou àquela moradora de rua.
Parabéns duas vezes: por sua atitude e pelos versos perfeitos.
Belo poema!!!
Beijos

Ramosforest.Environment said...

Um retrato e um sentimento sobre Brasília.
Quem já viveu lá sente bem os seus versos.
Luiz Ramos