Translate

Wednesday, July 11, 2012

Os barcos da Urca


em breve, chega a noite enluarada de julho
e seu frio um tanto sulista, falsete carioca em alarme enquanto
sorvo café amargo e Jards Macalé soa mais blues do que nunca -
"Nessa manhã de louco todo mistério é pouco" -
enquanto pareço tão cruel comigo mesmo
uma pena que você more tão longe
e durma tão longe
e goze tão longe que não posso te provar
nem mesmo vê-la dançar nua na praia como Isadora Duncan fez
no areal deserto de Ipanema
"pretty city lights"!
nós nunca vimos de mãos dadas
o atracar dos barcos nas pedras da Urca
nunca trocamos beijos e carícias de afeto no caminho
do Leme e sequer me permitiu bolinar-te
nas escadarias modernas do bloco F
mas eu sinto o calor das tuas mãos de alguma forma
nem que seja num simples e-mail
e conjugo tuas coxas, persigo tuas curvas mais as duas najas
verdes que locupletam o teu olhar
hoje somos tão pouco, quase nada ao longe
quase tudo diante do que nunca fomos ao certo
e isso me inibe a ponto de não chutar
tudo para o alto! mãos ao alto!
e dar o fora daqui, te sequestrar, levar a um jardim de sonhos
imaginários
todo colorido em azul-limão, verde, roxo e gris
feito meus tempos de criança - 
dez mísseis psicodélicos disparados em torno desse quase luar
ora, nunca nos abraçamos na Praia Vermelha e nem trocamos
carinhos ousados nas poltronas do Roxy
nós nunca vimos de mãos dadas o impecável crepúsculo da Urca
a sangrar expondo a carne viva!
e isso me fz tão mal: parece que, ao teu lado, viver faria sentido.
"big city lights"!
- o poeta já não sonha, já não dorme, esfarela os amores, apenas repousa 
para se esquecer
de toda fúria e dor, todo rancor e desejo
porque você não está aqui
porque você não está aqui
porque você não mora em mim
e isso tão-somente quer dizer
da simplicidade que julgamos ser fim

paulo-roberto andel 10 07 2012

"there's never a forever thing"




3 comments:

Roger de Sena said...

Muito bom, Paulo!
"Chocante", como se dizia no meu tempo!
Abração.

Tatiany Melo said...

Este texto me faz lembrar dessa música. Não páro de pensar nisso:

"Amor que passa bem
tua noite encantada
mesmo que passe bem
amor e quase nada
Sempre que eu voar
lembrarei também de você
até o sol brilhar
em Londres estarei
Mas nada disso importa
até o sol brilhar
bem longe estarei"

Antonio Paulo Oliveira Campos said...

Meu mestre que amor mais lindo. Findo sem ter iniciado doce e amaldiçoado.Presente nos sonhos do autor doce amor em lábios mudos desnudos pensamentos. Ai a coragem de chegar perto tão longe barcos em noites frias mãos vazias dessa presença tão próxima e tão ausente.Mestre me comunique sempre dessas pérolas.