Translate

Thursday, December 17, 2009

POEMAS DO SER - PARTE II



GAFE


houve um amanhã,
um mais-à-frente
e me deparei
com a réstia de lembrança
do meu amor,
numa lista de casamento
chique
estampada num computador:
a lembrança
do que já não é amor
nem chique,
nem sequer está à venda.
quando
o amanhã chegou,
o que se imaginaria
era meu vale de mágoas,
minha praia em lágrimas;
porém, meu choro não sucedeu.
não sou mais eu mesmo,
nem meu outro.
o que devia ser rancor
floresceu-se estranheza.
o que merecia ser espanto
tomou praça de lugar-comum.
a saudade quase colidiu
com a indiferença.
resta-me outro amanhã
que ainda não veio.
o mais distante de tudo
é ser adulto:
tempero a fogo
de sobriedade,
tatuagens de serenidade
e um até-breve
que desfoca todo amor
da nossa vã
juventude.


NUA

nua nos meus anseios,
nos desejos mais lascivos
e intimistas,
de modo que me cultiva
à alma:

nua de tão encantadora,
tão romântica e rascante
que só a vejo minha e nua,
numa obsessão catalânica
que me foge à vida.

uma estátua de carne tenra
e fino aroma:
botões de flor à mostra,
receita de lascívia
que me enche o peito,
os sonhos,
me acende na alvorada
e mora no meu pecado:
baila meu ventre,
minha boca seca,
faz meu sexo viver.


GRITO URBANO I

paralelas de concreto,
nacos de ferro,
pedra e néon.
paralelas às ruas
e passarelas:
látex no asfalto,
fumaça liberta no ar
e tudo é um formigueiro
claustrofóbico, cinemático,
que nos logra
a miraculosa
maldição do progresso.


Paulo-Roberto Andel, 17/12/2009

2 comments:

Antonio Campos said...

Perdoa-me só copiar e colar aqui essa linda mensagem que faz parte de um todo sensacional meu amigo.

"uma estátua de carne tenra
e fino aroma:
botões de flor à mostra,
receita de lascívia
que me enche o ventre,
os sonhos,
me acende na alvorada
e mora no meu pecado:
baila meu ventre,
minha boca seca,
faz meu sexo viver."

Meu professor um bom natal.

Elika Takimoto said...

Gênio!!!

Beijocas e parabéns por tudo!