Translate

Tuesday, June 15, 2010

COISA DE ALGUNS MINUTOS


Daqui a pouco tempo, o país vai parar como sempre a cada quatro anos, ou a cada ano num fevereiro-março qualquer.

A Copa do Mundo é nossa.

Não se trata do título, evidentemente.

Falo da alegria que milhões de pessoas, preferencialmente as mais humildes, podem ter com cada partida do escrete nacional.

Detesto o militarismo amargo de Dunga e de seu papagaio-de-pirata Jorginho. Esperava mais de dois sujeitos que já levantaram o campeonato mundial como juniores e profissionais. Pessoas menos apegadas a rancores e vinganças. Gente mais gente, se é que me entendem.

Detesto Ricardo Teixeira e tudo que lhe cerca. Mas o futebol brasileiro é muito maior do que eles todos. Muito, muito mais.

Nelson Rodrigues, tão grande quanto o nosso futebol, entendeu bem esse fenômeno décadas atrás quando escreveu a "pátria de chuteiras".

Tomara que dê tudo certo. Mesmo que tudo tenha sido feito com empáfia, arrogância e a medida certa para que dê tudo errado.

E se não der certo como mereceríamos, que ao menos por alguns instantes os brasileiros se sintam um pouquinho felizes, sem a ameaça do neoliberalismo que lhes espera no pós-Copa.

Oxalá.


Paulo-Roberto Andel, 15/06/2010

2 comments:

Djabal said...

Paulo, bom dia. É verdade, a copa e o futebol, são quase incompreensíveis. Assisti, outro dia, um seriado brasileiro chamado Conversa Fiada. Ele capturou um personagem torcedor do Sport Club Recife.
Diante das câmaras, ele tascou: "Não gosto do Sport. O Sport é minha religião. É assim que ele é pra mim."
E fazia algum tempo que eu já havia desistido de entender. Esta foi a pá de cal.
Mas é gostoso mesmo é ler o seu texto, sempre bom, sempre antenado e hiperligado. Brax, amigo.

Paulo-Roberto Andel said...

É, rapaz. Realmente, pra quem gosta, o sentimento a respeito do futebol exacerba tudo, precisando até de certa cuidado. Mas é maravilhoso. Todo o agradecimento pelas palavras, chef. Braxx too.