Translate

Thursday, July 02, 2009

Serenata

um amuleto
em forma de canção

a primavera
tão longe da ação

meu amor à espreita
cândida ilusão

o mar, a maré cheia
a urca sob refrão

o cadafalso
para um caso contente

a lareira
missão da noite quente

mão dada
macia, envolvente

a noite à toa
o desejo inconsequente



paulo-roberto andel, 01/07/2009

9 comments:

Antonio Paulo said...

Meu mestre que lindas essas palavras O amigo anda realmente inspirado prova disso é essa serenata. Um abraço tricolor Paulo Andel.

Carlos, um jeito tabajara de ver a vida said...

A turma da poesia anda inspirada mesmo. Minha inspiração anda em baixa, muito baixa mesmo.
Abraçoooooo!!!!!!!

Lau said...

Paulinho, que espetáculo de serenata!!! Foi onde? Pra quem? rsrs
Amigo, vc é um über talento(sempre disse). Vc está na minha mira...aguarde.rs

Carlos Peroni said...

Mandou bem!

Mariano P. Sousa said...

Valeu cumpadre paulo!
Show de poesia parece até que a gente quer cantar qando comecamos a ler!

Bração!

prisbon said...

Paulinho, adorei a poesia!!! Linda demais!!!
Beijão, Saudade

prisbon said...

Paulinho,

Adorei a poesia! Muito linda!
Beijo, saudade!
Priscila

sueli schiavelli jabur said...

querido amigo, muio linda, sensível, bjs

Ana Guimarães said...

Passeando pela Urca, poeta? Veja se encontra o mestre Armando Freitas Filho, que acaba de escancarar as portas so seu "Lar," (assim mesmo, com vírgula), aí no bairro.
Beijo