Translate

Monday, April 13, 2009

Permita















que
não me permita
confundir
serenidade
com frieza,
mocidade
com beleza,
felicidade
com riqueza

que
não me permita
proclamar
independência
em covardia,
misturar
indecência
na hipocrisia,
deixar rancor
sem fidalguia

que
não me permita
o óbvio, o flácido,
o histérico
e o desamparado,
o colérico
num amontoado,
um retrocesso
a morar do lado

que
não se habilite
a insensatez;
só a honestidade
pode me servir
por vez -
a estrela-guia,
um azimute
que se inicia

que todo mal
não me permita;
apenas permute
a luz pela luz -
a luz da vida,
todavia

Paulo-Roberto Andel, 13/04/2009

6 comments:

Lau said...

Excelente, se me permite.

Ana Guimarães said...

Permita-me aplaudi-lo.
Beijo

Vicky said...

Tá faltando post novo, Paulo!!!

Antonio Paulo said...

Beleza mestre um abraço se me permitires estarei por aqui seguidamente.

Carlos, um jeito tabajara de ver a vida said...

Grande Paulo, estou comentando aqui pela primeira vez. Como sempre, seus textos sao otimos, claro!!!! Sempre me chama a atenção, o fato de voce se referir ao Rio de Janeiro como Guanabara. Sou desse tempo, e era muito melhor. Não tinhamos que dividir a grana do ICMS com outros municipios. Nossas preocupaçoes eram menores. Como diz voce, BRAX!!!!!!!!

Paulo-Roberto Ândel said...

tamo junto, pessoal!