Translate

Monday, April 27, 2009

Otrospetiscos

CANTO

canto
porque
meu tanto
é pouco,
o quinhão
que tomo
é
pouco
e a nostalgia
não me
apraz

canto
pelo
sopro,
tênue vento
sem maior
intento
na vida
que não
me
condiz

canto
como verso,
que se
desvela
onde há
segredo,
se desnuda
em meio
ao
pensamento
e não
vulgariza
o amor
que doa
paz


MUDEZ

silêncio,
silêncio:
vocação
lúgubre
da paz


NOT SO LONG

not so long
like a shame
burning
into a wild
heart

down by law
like a trust
shining
on a twisted
mind

not back home,
nor back on top -
just in a breathe,
a squeeze:
handsome love


Paulo-Roberto Andel, 27/04/2009

4 comments:

Frei said...

Fala, poeta

Saboreando os primeiros petiscos, mas estarei sempre por aqui

[ ]s do Freitas

Luísa N. said...

Lindos versos, lindo blog, amigo Paulo!
Um verde abraço!

Anonymous said...

Caro amigo,
Mais uma vez afirmo (parodiando Obama)que "you are the man, I love this guy".
Será que me da permissão para "musicar" alguns de seus escritos. Também gostaria de que autorizasse, para efeitos melódicos, o segundo verso de CANTO, lá no final, trocar a palavra condiz para satisfaz.
canto
pelo
sopro,
tênue vento
sem maior
intento
na vida
que não
me
condiz (satisfaz)
Abraço.
continue escrevendo. o Brasil precisa de pessoas assim.

Paulo-Roberto Ândel said...

tá liberado pra uso, rapá.

depois me mostra como ficou!