Translate

Thursday, April 08, 2010

ÍDOLOS DE BARRO


















Dia desses, recebi de uma querida amiga um texto reproduzido em blogs, daqueles tradicionalmente encharcados com as eternas besteiradas, repetidas de forma papagaiante, sobre as “ameaças de democracia no Brasil” promovidas pelo Governo Lula. O texto, supostamente assinado por um ator, desancava o governo e trazia termos pessoais que, uma vez comprovada a autoria, permitem claro ajuizamento. Forma papagaiante é um neologismo que propõe a repetição incessante de ditos sem que necessariamente tenha que se raciocinar a respeito, tal como fazem as simpaticíssimas aves. Por favor, não tomem isso como uma crítica à PPB (população papagaial brasileira).

Há uma confusão enorme no Brasil de hoje sobre a questão política. Confusão misturada à má-fe, ignorância e um sentimento agudo de ambição neofascista como se viu no banditismo do golpe de 1964. Tentam construir ídolos de barro, frágeis, “bons administradores” que não se sustentam diante de críticas ao “Estado Mínimo”, o “Neoliberalismo” e o porque de terem conseguido resultados nacionais pífios ao fim de sua gestão, já que eram os responsáveis pelo reordenamento do Brasil. Falam em democracia, mas governam São Paulo há vinte anos.

Primeiro, as velhas “viúvas da ditadura” a preconizarem uma ameaça comunista que não existe. Depois, a total cegueira em não se admitir que, nas realizações, o Governo Lula é o único que permitiu mobilidade social às camadas mais sofridas da população desde os planos de João Goulart, que naufragaram com tanques, mortes e os piores atos de desumanidade. Terceiro, a estúpida adesão que os descontentes com Lula tomam ao aderirem ao PSDB, que representa a escória política do Brasil, o sub-PDS, o almoxarivado da Arena, a clara representação do “alto” capitalismo que pretende se sustentar com aplicações e não geração de empregos. Qualquer assalariado, pequeno empresário ou detentor de baixa remuneração que empunhe esta bandeira só pode fazê-lo por completa ignorância histórico-sócio-política do país onde vive. Ao fazerem isso, as “viúvas” não somente desfilam seu raso conhecimento das cousas, mas também agem com “raciocínio” análogo àqueles que, não muito tempo atrás, viam as milícias como uma boa solução contra os traficantes. Ou seja, o sujo querendo criticar o mal-lavado, se mal-lavado fosse. Como “solução” para o “atraso” do Brasil (????) e a “enorme corrupção” (?????) pretendem simplesmente reabilitar o partido que entregou lucrativas empresas como a Vale do Rio Doce a troco de banana, que “modernizou” as telecomunicações às custas das maiores taxas de telefonia do mundo e que mudou as regras eleitorais durante seu próprio governo, permitindo que um presidente se reelegesse com um mandato em curso. Quando aconteceu fato parecido em Honduras, defenderam a deposição de Zelaya. Lá, ao contrário daqui, havia regularidade de plebiscitos. Pode haver algo mais hipócrita ou acéfalo? Sim. “Estabilidade” da economia com seiscentos mil empregos em oito anos, numa país com cento e setenta milhões de habitantes.

Embora o jogo eleitoral esteja apenas começando, há indícios fortes que os neofascistas estão condenados ao fracasso: a todo momento, nos jornais prostituídos e nos blogs tendenciosos, a falácia contra a ditadura mostra-se mofada e encardida. Com toda a humildade e limitação educacional que ainda tem, o grosso da população não é tolo e percebe claramente que não se pode confiar nos anseios democráticos de quem olha somente para o próprio umbigo, o próprio bairro e o próprio bolso.

O golpe final acontecerá quando Ciro Gomes, sábio dissidente da máfia empresarial travestida de partido, manifestar-se na campanha.

Hoje, o Rio passa por um luto profundo. Milhares de desempregados, morte, dor, caos. Nada disso interessa para as “viúvas”: danem-se os pobres. Querem o poder, mesmo que sejam apenas meros bonecos nas mãos do capital especulativo que, brevemente, os descartará. O “paraíba” que preside o país, para eles, deveria era estar sob os escombros da tragédia carioca-fluminense. Muitos orgulham-se de seus diplomas, muitas vezes conseguido porque papai e mamãe tinha posses e lhes abriram caminhos facilitadores. Outros, em total caos mental, suspiram pelos tempos de “ordem” do golpe militar: decerto, não pensariam o mesmo se tivessem tido uma mãe, irmã ou namorada estuprada nos quartéis. Mais outros acreditam mesmo serem intelectualmente superiores aos demais, e aí é que escorregam numa casca de banana rumo a um monumental espatifar com a bunda no chão – ainda tontos e machucados, mesmo assim não voltam à realidade: vivem um sonho de perversidade, maligno e deturpado que, felizmente, não há de prosperar. A miséria, uma pena, ainda persiste; contudo, a ditadura já morreu e, se não pudemos enterrar nossos dignos militantes contra o nazismo no Brasil, estes mesmos que vociferam e sonham com a volta dos dias de chumbo só podem, na melhor hipótese, esperar do limiar da vida o aroma do ocaso.


Paulo-Roberto Andel, 08/04/2010

8 comments:

Pedro Du Bois said...

Caríssimo Andel, compartilho do seu sentimento: um amigo meu sempre disse que são pequena burguesia de direita facilmente influenciáveis: imagina se os colocam frente à uma vitrina mais do que iluminada em neon. Os vivandeiros permanecem, sempre, chorando pitangas e quarteis. A falta de cultura e a má fé. Lastimáveis. Abraços, Pedro

Paulo-Roberto Andel said...

Todo o agradecimento, poeta. Estamos juntos. Grande abraço!

Lau Milesi said...

Oi Paulinho, lá estou aqui a concordar,mais uma vez,com você e com o poeta Pedro que,por sinal, sintetizou muito bem o que acontece com essa "tchurma".

Mas o lado feminino/passional não quer calar e eu acrescento que tudo isso é dor de cotovelo da tucanada.[rs]

Para o pessoal do PPB(população papagaial brasileira,deixo esse pensamento do grande Chico:
"Dormia, a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações".(Francisco Buarque de Holanda)
Há quem fiquer indignado porque o governo atual é para todos.
Cada dia tenho mais orgulho em ser sua amiga. Brilhante e impecável seu texto.

Beijosss

dener said...

Paulo,
Assino "por baixo", como diz o outro. É indiscutível o avanço do governo Lula, comparativamente com os governos anteriores. Infelizmente, o nosso sistema político acaba nos levando ao toma-lá-dá-cá, nas negociações com o parlamento, indepentente do governo que se instale. A mídia, controlada pela elite brasileira, joga a isca e só encontra ressonancia naqueles inconformados que não aceitam que alguém que na sua visão lhes é inferior esteja sendo tão bem sucedido, nacional e internacionalmente. Imaginem se ele caisse na tentação de, graças ao alto indice de popularidade, alterar a constituição para se candidatar a um terceiro mandato, conforme fez o academico da Sorbounne!
É isso, aí, Paulo....

Fabrício Santiago said...

Nossa, Paulo, qta fúria petista, rapá. Daqui a pouco os caras do PT vão voltar a comer criançinha assada com batata, mas primeiro vão ter de arrumar um jeito de se eternizarem no poder, tipo Hugo chaves.....rs Morte ao comunista! rs
abração

Paulo-Roberto Andel said...

Caro Fabricio,

Este é um blog de literatura e de viés político comunista. Logo, não compartilha das práticas de neofascismo implementadas pelo capital neoliberal (leia-se liberal com o dinheiro dos outros, mas não com o próprio). Os simpatizantes deste modelo devem procurar abrigo em outros lugares que não este blog; aqui, dignamente, não são bem-vindos do ponto de vista político.

Quanto a Chávez, qualquer criança sabe que seu principal pecado não é ser "ditador" ou "autoritário", mas sim o de ser um incômodo para o "livre comércio" (leia-se colonialismo) norte-americano.

Grande abraço e saudações comunistas.

Paulo-Roberto Andel said...

Macario has left a new comment on your post "ÍDOLOS DE BARRO":

Paulo, há de lembrar que nosso país não é Honduras, cuja constituição não prevê impeachment e sim a retirada a força do poder do governante. E ao contrário do que foi feito por FHC, cuja emenda da reeleição foi inspirada nos moldes americanos, ou seja, 8 anos máximos de mandato, Zelaya pretendia mandatos por tempo ilimitado, o que levaria seu país a um caso semelhante ao da pseudo-democracia de Hugo Chavez.
Sobre a tragédia que atingiu principalmente a minha Niterói, deve-se a culpa do PT/PDT que há 20 anos governa de maneira medíocre. O último bom prefeito, Bragança, médico sanitarista, acabou com o lixão do bumba e cercou o local, além de fazer estudos sobre demais areas de risco, porém Jorge Roberto assumiu e incentivou a favelização, e seu filhote João Sampaio levou água, luz, asfalto, creche, escola, para uma área onde nada se poderia construir!!!! Bragança alertou os pdtistas na época sobre o perigo, porém estes não o levaram a sério, pois sempre cutucaram sua grande ferida: ser apadrinhado de Moreira Franco.
E da última fico sabendo que o Lula decreta luto pelo presidente polonês, enquanto que sobre Niterói pouco argumentou. Só resta lamentar...
Elogio o Lula pelos seus acertos, mas não se podem esquecer seus erros, que gostaria que fossem publicados, bem como os acertos da época do FHC e dos militares. Abraços!

Paulo-Roberto Andel said...

Caro amigo Macario, obrigado pelo registro.

Quanto a Honduras, é sabido que a Zelaya estava condenado deste que traiu a coligação de direita que apoiou sua eleição. Neoliberais gostam de apregoar respeito aos contratos firmados, mesmo que sejam criminosos e de lesa-pátria. O golpe de estado em Tegucigalpa, tal como TODOS os realizados na América Latina nos anos 60 e 70, teve total apoio da Casa Branca, a mesma que em seis anos, em dome da "democracia e da ordem" já matou alguns MILHÕES de iraquianos.

Quanto a Niterói, amigo querido, comecei a frequentar a cidade antes do teu nascimento - mais precisamente, 1978. O morro do Bumba já estáva lá, com seu lixão, dez anos antes, portanto sem qualquer relação estrambótica com o PDT que, nesta época, sequer tinha sido fundado... a prática pededista de amparo a favelados, bastante conhecida e apreciável por aqueles que vivem em sociedade (respeitando os pobres), se deu em todos os morros da cidade.

Em relação ao Sr. Bragança, a coisa mais leve que dele se pode dizer é que deixou a cidade como um verdadeiro LIXO - eu era estudante da FACEN, na Amaral Peixoto, e caminhava diariamente sentindo o chorume nas ruas pelas coleta não realizada. 1986. Em paralelo, ainda foi sogro do traficante Paulo Roberto Lima, o "Meio-Quilo", braço-direito de Escadinha na fundação da facção criminosa Comando Vermelho... ou ainda aliado de Moreira Franco, o que queria "comprar" a eleição de 1982 para o governo do estado e foi fragorosamente derrotado.

Para fechar, o legado das grandes obras feitas pelos militares está por toda a região metropolitana do Rio de Janeiro: armas exclusivas das Forças Armadas servem de instrumento para traficar, estuprar, queimar pessoas vivas, assassinar... também está na sociedade individualista e egoísta, no dar de ombros às questões sociais e, porque não, a CORRUPÇÃO? A obra-símbolo de Niterói, a ponte, já nasceu superfaturada e sub-estimada do ponto de vista da capacidade de tráfego...

Tua presença como amigo é bem-vinda; qualquer opinião aqui de simpatia a assassinos que traíram a pátria para receber dinheiro sujo dos Estados Unidos será tratada como imunda, pestilenta e intolerável. Não há mais espaço no Brasil para caça aos comunistas. Os artífices do nojento golpe militar estão deitados no berço esplêndido da morte ou à beira dela, física ou politicamente falando, felizmente. E tudo leva a crer que, mais uma vez, o neoliberalismo terá nas urnas o tratamento que merece.

Um abraço.